quinta-feira, 29 de junho de 2017

Incêndio atinge indústria química em Guarulhos
Uma pessoa ficou levemente ferida. Ao todo, 25 equipes dos bombeiros foram enviadas para a região.

Incêndio em indústria química em Guarulhos (Foto: reprodução/Globo News)

Um incêndio de grandes proporções atingia uma indústria química em Guarulhos, na Grande São Paulo, na manhã desta quinta-feira (29). Uma pessoa ficou levemente ferida, segundo o Corpo de Bombeiros.
Ao todo, 25 equipes dos bombeiros foram enviadas para a região. A indústria química fica na Rua Décio da Silva, no bairro Bonsucesso.

Fumaça de incêndio em fábrica em Guarulhos (Foto: Reprodução/TV Globo)

Todos os funcionários saíram, segundo a empresa informou aos bombeiros.
Ainda de acordo com os bombeiros, o fogo atingiu dois tanques de solvente, material altamente inflamável, que explodiram. Moradores da região ouviram o som das explosões.

Fogo atinge galpões de fábrica em Guarulhos (Foto: Reprodução/TV Globo)

“As equipes tentam fazer cerco para não deixar o fogo espalhar para os imóveis vizinhos”, disse o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros. Ele acrescentou que a temperatura das chamas chega a 700 graus em alguns pontos.

Fumaça de incêndio em fábrica em Guarulhos (Foto: Reprodução/TV Globo)

Segundo Palumbo, a brigada de incêndio da indústria tentou apagar o fogo, mas como as chamas se espalharam rapidamente, tiveram de acionar os bombeiros. A pessoa ferida seria um dos brigadistas.
Apesar de as colunas de fumaça estarem muito altas, o incêndio não atrapalhava o funcionamento do Aeroporto de Cumbica.

Incêndio atinge fábrica em Guarulhos (Foto: Reprodução/TV Globo)

Fogo atinge fábrica em Guarulhos (Foto: Reprodução/TV Globo)

Postado por: Giovana M. de Araújo

terça-feira, 27 de junho de 2017

Porto Velho sofre com as queimadas

Fumaça e fogo nesse período são responsáveis por inúmeros problemas de saúde, trânsito e na natureza.

Você sabia que Porto Velho é uma das cidades com maior foco de incêndios do país? A cada ano, os focos têm aumentado. Só no primeiro semestre de 2015 cresceram 33% em relação ao ano anterior, conforme dados da Subsecretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Porto Velho (SEMA).
Logo no comecinho da nova gestão, a Prefeitura de Porto Velho organizou uma equipe para lançar a campanha de combate às queimadas, coordenada pelo secretário Municipal de Integração, que também é secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento, Robson Damasceno Silva Júnior. Essa equipe se aliou aos principais órgãos ambientais e também quer contar com o seu apoio.
OS PREJUÍZOS DA QUEIMADA
Queimada mata e, também, causa danos materiais, danos ambientais e deixa quase toda uma cidade doente. Nessa época do ano é comum ver hospitais e postos de saúde lotados com crianças, idosos e muita gente sofrendo com doenças respiratórias entre outras. É isso que a Prefeitura de Porto Velho quer combater e precisa de sua ajuda.


Postado por Giovana M. de Araújo

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Queimada atinge árvores nativas e gera multas de mais de R$ 107 mil


Autos de infrações ambientais foram lavrados nesta segunda-feira (26).
Polícia constatou incêndio em área de cultivo de cana, em Panorama.

Do G1 Presidente Prudente
Queimada Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)Queimada foi constatada em Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)













A Polícia Militar Ambiental aplicou nesta segunda-feira (26) multas que totalizaram R$ 107.861,50 a uma usina de cana-de-açúcar devido à constatação de queimada em uma área de 101,5 hectares de cultivo da lavoura em uma fazenda localizada em Panorama. Conforme a corporação, o incêndio ainda atingiu 14 árvores nativas localizadas em área comum – um manjoleiro, um amendoim-bravo, uma canelinha, seis leiteiros e cinco quixabeiras.
Durante a vistoria e a mensuração da área, a polícia verificou que não foram observadas ações de prevenção e precaução, diante da grande incidência nos últimos anos de queimadas e incêndios florestais ocorridos em áreas com plantio de cana-de-açúcar na região. Segundo a corporação, os aceiros não foram limpos, não foi constatado vestígio de combate e os talhões foram queimados por inteiro.
Queimada Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)Queimada foi constatada em Panorama
(Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)
Mesmo que se alegue ação criminosa de terceiro, não foi observado o princípio de prevenção e precaução, uma vez que a atividade exercida é potencialmente poluidora e as condições climáticas não estão favoráveis, segundo a polícia.
Foram elaborados dois autos de infrações ambientais na esfera administrativa por existir o nexo de causalidade entre a ação e o dano, segundo a corporação: um no valor de R$ 101.561,50, por uso de fogo em área agropastoril, e outro de R$ 6.300,00, por danificar vegetação nativa sem autorização prévia do órgão ambiental competente.
Ainda conforme a polícia, também foi constatado que o incêndio afetou uma área de 96,7 hectares com cultivo de cana-de-açúcar e 13 árvores (uma canafistola, um amendoim-bravo, cinco leiteiros, três ipês e três quixabeiras), de propriedade de um terceiro que tem contrato com a usina e não possui autorização para a queima da lavoura.
Queimada Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)Queimada foi constatada em Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)
Queimada Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)Queimada foi constatada em Panorama (Foto: Polícia Militar Ambiental/Divulgação)
tópicos:

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Incêndio em vegetação atrapalha trânsito no Popular Nova


Por Gesiane Medeiros
O trânsito foi regularizado após 30 minutos de combate ao incêndio.Foto: Divulgação
Pelo menos 800 litros de água foram necessários para exterminar incêndio em terreno baldio próximo a Escola Municipal Ângela Maria Perez, na tarde de ontem (23), por volta das 13h45, no bairro Popular Nova. 
A grande quantidade de fumaça atrapalhava o trânsito na via, que precisou ser bloqueada para garantir a segurança da equipe de trabalho do Corpo de Bombeiros, assim como dos condutores e pedestres.
Após 30 minutos de trabalho intenso, as chamas foram exterminadas e o trânsito regularizado. 
Postado por carlos PAIM

sábado, 14 de maio de 2016

Portaria cria comitê para monitorar biomas

Iniciativa define estrutura para atuar junto ao programa nacional que avaliará cobertura vegetal e desmatamento no país.

Está em vigor a Portaria nº 151/2016, que institui o Conselho Consultivo do Programa Nacional de Monitoramento da Cobertura e Uso das Terras dos Biomas Brasileiros e, ainda, nomeia os membros para compor a Coordenação Geral, o Comitê de Coordenação Técnica e o Conselho Consultivo desse programa destinado a monitorar os biomas brasileiros. O Programa tem por objetivo mapear e monitorar o desmatamento, avaliar a cobertura vegetal e o uso e cobertura da terra e sua dinâmica, as queimadas, a extração seletiva de madeira e a recuperação da vegetação.

Em uma esfera mais ampla, essas informações servirão para subsidiar as tomadas de decisão em ações voltadas à promoção da conservação da biodiversidade brasileira. Também para propiciar uma visão estratégica da gestão territorial que conjugue os diversos interesses sobre o uso da terra e ainda permita o desenvolvimento do país em bases sustentáveis.

OBJETIVOS

Para o diretor do Departamento de Ecossistemas do Ministério do Meio Ambiente, Carlos Alberto Scaramuzza, "a formalização do Comitê de Coordenação Técnica e do Conselho Consultivo é um passo importante para materializar os ambiciosos objetivos do Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros, lançada em 5 de maio”.

As instâncias de Coordenação do Programa de Monitoramento Ambiental dos Biomas Brasileiros foram criadas pela Portaria MMA nº 365/2015, a ser exercida pela Secretaria-Executiva do MMA. Essa mesma portaria criou, também, a instância de coordenação técnica e científica do Programa, denominada Comitê de Coordenação Técnica, a ser exercida pela Secretaria de Biodiversidade e Florestas e pela Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do MMA.

MMA

Postado por: Ygor I. Mendes

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Imagem feita da Estação Espacial Internacional mostra América do Norte tomada por fumaça de incêndios no Canadá


O incêndio que atinge a Província de Alberta, na região central do Canadá, desde semana passada tem tomado proporções cada vez maiores e já pode até ser visto do espaço.
Imagens divulgadas pelo astronauta britânico Tim Peake, da Estação Espacial Internacional, mostram a região da América do Norte tomada pela fumaça originada dos incêndios em Alberta. É possível notar uma massa branca sobre o continente, que estaria vindo justamente do fogo que tem se alastrado pelas terras canadenses.
Até o último final de semana, o fogo já havia tomado conta de uma área de 1,6 mil km², maior do que toda a cidade de Nova York.
O incêndio começou no domingo, 1º de maio, e já forçou mais de 100 mil pessoas a serem evacuadas da região. Dezenas de milhares deixaram o local em mais de 300 voos efetuados dali para a capital da província, Edmonton.
Até o momento, não foram registrados mortos ou feridos em decorrência do incêndio, e as causas dele ainda estão sendo investigadas.
Segundo as autoridades locais, o fogo ainda poderá durar semanas e até meses - principalmente se as temperaturas continuarem altas na região e se não cair nenhuma chuva considerável.
Mais de mil bombeiros estão envolvidos na missão de apagar o incêndio, além de 150 helicópteros, 295 escavadeiras e 27 aviões-tanque.
Uma das cidades mais atingidas, Fort McMurray, é o centro da produção de petróleo da Província de Alberta. A grande preocupação é que o incêndio atinja os próprios locais de produção e tome proporções ainda maiores - no entanto, o fogo tem se afastado da cidade, gerando um alívio para o país.



Postado por: Ygor I. Mendes







quarta-feira, 4 de maio de 2016

Incêndio florestal ameaça cidade no Canadá; moradores deixam região

Autoridades pediram a evacuação da cidade de Fort McMurray.
Incêndio é gigantesco, segundo imprensa local.

A população da cidade de Fort McMurray, no noroeste do Canadá, que conta com cerca de 70 mil habitantes, recebeu a ordem para deixar a região devido a um incêndio florestal, que pode destruir toda a comunidade.
As autoridades municipais ordenaram a evacuação obrigatória às 18h20 locais desta terça-feira (21h20 de Brasília) e solicitaram aos moradores da cidade que sigam rumo ao norte para evitar as chamas que bloqueiam a única estrada que liga Fort McMurray à região sul da província de Alberta.
"Sejam pacientes, dirijam com cuidado e, por favor, cedam passagem para os veículos de emergência", afirmaram as autoridades municipais aos moradores.

A ordem de evacuação total aconteceu devido ao "rápido avanço do incêndio" no norte, que é na atualidade a única rota de escape da cidade.
As autoridades da província de Alberta, por sua vez, informaram que mais de 100 pacientes que se encontravam no hospital Northern Lights Regional Health Centre foram transferidos.
Uma das principais preocupações das autoridades agora é conseguir alojamento para todas as pessoas que estão fugindo do incêndio.

Comunidades limítrofes a Fort McMurray, assim como as principais empresas que operam na região, um dos principais centros petrolíferos do Canadá, disponibilizaram alguns locais para receber milhares de pessoas.
A comunidade de Lac La Biche disse que está esperando a chegada de entre 500 e mil veículos de pessoas que estão deixando Fort McMurray.
Imagens transmitidas pelas emissoras locais de televisão mostram um incêndio gigantesco nas florestas que cercam a cidade, alimentado pelas altas temperaturas incomuns na região e por fortes ventos que empurraram as chamas em direção ao centro da cidade.
Apesar de o fogo ainda não ter causado vítimas, várias casas já foram consumidas pelas chamas.
As imagens também mostram longas filas de veículos engarrafando as rotas de escape da cidade.

O ministro de Segurança Pública do Canadá, Ralph Goodale, disse em comunicado que recomenda aos residentes de Fort McMurray "que sigam as instruções de agentes e autoridades locais. Se sua evacuação foi ordenada, por favor, proceda com a mesma para sua própria segurança".
A primeira-ministra da província de Alberta, Rachel Notley, disse que as autoridades estão "totalmente concentradas em garantir a segurança da população e em retirá-los da cidade".
O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, explicou através do Twitter que tinha conversado com a governante provincial para "oferecer o apoio de nosso governo ao povo de Fort McMurray". "Estamos prontos para ajudar", disse o premiê.

G1Globo

Postado por: Ygor Mendes Iavdosciac